Tudo sobre Cabos e Conectores RCA para Som Automotivo 
texto produzido por:
GuiHF (Guilherme Fujii)
Edu*Zin (Eduardo Diaz)
Coordenação e revisão Marcelomoti (Marcelo S. Motitsuki)
AutoSom.net http://autosom.net
29/07/2006
revisão por Kleberlpa 10/10/2006
     Para começar a falar sobre os diversos cabos e conectores que constituem o padrão RCA, vamos introduzir falando um pouco sobre os cabos em geral.

     Todo e qualquer cabo possui 4 componentes elétricos, que são: resistência por metro, impedância, capacitância e indutância. A alta resistência diminui a intensidade do sinal, é uma resistência em série com o falante ou amplificador. A capacitância causa a limitação na resposta do cabo, criando atenuações em altas frequências. É análogo a um capacitor em paralelo com a carga, que direciona os sinais de alta frequência para o terra. Quanto maior a capacitância, mais baixa é a frequência em que isto começa a ocorrer. Para cabos curtos a capacitância não chega a ser o maior problema, exceto quando temos aparelhos com deficiências de projeto. A indutância também atua como um filtro low pass (passa baixa), e possui um efeito muito mais danoso para o sinal de áudio. A impedância, em sistemas de áudio, não é levada em consideração, pois estamos considerando o uso em baixas frequências.

Normalmente um cabo com baixa capacitância possui grande indutância, e cabos de baixa indutância possuem capacitâncias mais altas. Isto porquê, quanto mais próximo estiver o condutor de sinal do condutor terra, mais se diminui a indutância (anulam-se os campos magnéticos). Porém isto eleva a capacitância. O inverso também é verdadeiro. A única forma de se ter um cabo com valores baixos de indutância e capacitância é investindo em materiais nobres na sua construção, o que justifica o alto preço envolvido. Uma coisa que pode aumentar a indutância é enrolar o cabo em bobinas, por isso o excesso de cabo RCA ou dos cabos dos alto-falantes não devem ser enrolados debaixo do banco ou do carpete.

Independente da qualidade e procedência do cabo, ele sempre vai ter estes quatro componentes, que podem ser menores ou maiores em valor, sendo que quanto menor a resistência, capacitância e indutância, melhor o cabo, pois o sinal passa com a menor alteração possível. Sem entrar na discussão dos audiófilos, quando possível, faça a comparação de um cabo de média qualidade e outro de alta qualidade. Para os que notarem a diferença entre um e outro, eu recomendo que invistam um pouco mais em cabos.

Deve-se lembrar que as diferenças, ao contrário do que muitos dizem, não significam que seu sistema sonoro mudará da água pro vinho. Ele melhorará sim, numa proporção que depende dos outros equipamentos, mas que podem ser sentidas nos pequenos detalhes que, quando percebidos, dão outra dimensão ao ato de ouvir música. Portanto, concentre seus investimentos primeiro em amplificadores, CD Player e alto-falantes. Não adianta testar ou comprar um cabo caro, baseando-se em triaixiais, cornetas, subwoofers para SPL e músicas em MP3 ou de aparelhos de qualidade pra lá de duvidosa. 

     Problemas comuns: Os cabos RCA tem tendência a dar problema, principalmente quando a qualidade é duvidosa. Evite cabos com conectores pré-moldados, pois eles costumam ter problema de contato nas conexões internas, ainda mais se você costuma mexer muito no seu som aos finais de semana e vive plugando e desplugando os RCAs. No caso de problemas nos conectores pré-moldados, a única solução é cortar o conector e colocar outro, o que vai dar trabalho e esteticamente não agrada. Para evitar transtornos depois da instalação, sempre teste os cabos com um multímetro procurando por circuitos abertos, ou curtos-circuitos. Não pise sobre os cabos ou conectores RCA, pois pode danificá-los, ás vezes é irreversível. Também não os dobre, amasse ou puxe durante a instalação, pois a tração pode danificá-los. Nada de enfiar a ponta de um lado e vir puxando o cabo com força pra chegar ao outro! E NUNCA puxe um RCA pelo cabo na hora de desplugar, sempre puxe pelo conector, segurando-o firme pelo meio e sem rodar, evitando romper a junção do cabo ao conector.

Passe os cabos com cuidado, evitando quinas e locais onde exista algum metal que possa cortar ou dobrar muito o cabo, caso o cabo se rompa ou tenha problema de circuito aberto, não convêm fazer uma emenda no meio do cabo, sendo necessário substituí-lo. Para passar os cabos nos orifícios da lataria, utilize anéis de borracha, ou cubra com alguma fita que proteja o cabo, utilize silver-tape para prender os cabos evitando que eles se movam debaixo do carpete podendo ficar expostos a pisadas.

     Nos cabos RCA, os problemas encontrados geralmente ocorrem nos plugs e juntas entre conector e cabo, estes pontos são os mais exigidos, onde a flexibilidade do cabo pode evitar transtornos com mal contato. Se o plug é de boa qualidade o conserto é simples, precisando apenas cortar o cabo e fazer novamente a solda.

Uma boa conexão entre plugs (macho e fêmea), depende de um bom contato entre os dois, alguns conectores machos não tem pressão suficiente e acaba sem fricção para fazer o contato com precisão, ficando frouxo, assim causando problemas de sinal e até ruídos; para evitar teste a pressão do seu conector macho e se necessário, procure por outro de melhor qualidade.

     Ruídos: Mudando de assunto e partindo para os problemas de ruído, é bom saber que os problemas de ruído por indução, ocorrem geralmente em carros que tem muitos acessórios acoplados, principalmente quando se trabalha com um nível de sinal de saída baixa (abaixo de 2 volts). Geralmente nos sistemas convencionais, quando ocorre algum tipo de ruído, é problema de instalação ou algum equipamento com defeito, raramente o problema encontra-se no veículo. Muita atenção aos tipos de cabos utilizados, pois eles também podem ser sensíveis a ruídos.

     Blindagem: Os cabos RCA existem a muito tempo e existem vários modelos. Alguns possuem um fio que passa entre os dois cabos. Este fio tem origem em sistemas profissionais, onde vários equipamentos, sem contato com um terra único estão sujeitos a ruídos causados por ground loops. Estes ruídos ocorrem quando existem diferenças de potencial de terra entre os aparelhos, o que provoca uma DDP circulando pela blindagem dos cabos, causando ruídos. A função deste fio é aterrar os equipamentos, reduzindo os efeitos deste distúrbio elétrico. Nunca utilize este fio como remoto.

Alguns cabos, contam com tripla blindagem:

1ª Blidagem: Formado pelo par trançado (2 fios enrolados um sobre o outro, como em cabos de rede, sendo que um deles conduz o sinal e o outro é o terra). Este trançamento possui grande imunidade a ruídos.

2ª Blindagem: Uma malha metálica que envolve os condutores, e é ligado ao terra nas duas pontas, ou em apenas uma delas (caso de cabos que possuem a direção do sinal especificada).

3ª Blindagem: Uma capa de filme metálico que cobre a segunda blindagem formando assim a tripla blindagem

     Tipos de cabos: Normalmente se utilizam diferentes tipos de cabos para conduzir o sinal. Há os coaxiais (um condutor central, que leva o sinal, e é envolvido por uma malha ligada ao terra), os trançados sem blindagem (apenas um par trançado) e os trançados com blindagem (onde existe uma fita metálica ou uma malha ao redor do par trançado). Os coaxiais são muito utilizados em antenas, pois possuem pouca perda de sinal e baixa capacitância, mas possuem menor imunidade a ruídos. Os trançados possuem maior imunidade a ruídos. Os cabos mais baratos são coaxiais de baixíssima qualidade, formados por um condutor central flexível fino, e uma malha formada por poucos condutores, apresentando péssima imunidade a ruídos.

Isoladores: Alguns vendedores, ao se depararem com um ruído que não é causado pelo motor, recomendam a instalação de um isolador no cabo RCA. Estes problemas são causados por ground loops, conforme já foi explicado mais acima. Uma boa forma de evitar tais ruídos é descartar o terra que vai para o player, através do chicote do próprio carro, e puxar um fio de 2,5mm para esta função, ligando-o ao negativo dos módulos ou ao ponto onde eles foram aterrados.

Agora algumas dicas para você mesmo fazer seu cabo RCA com uma qualidade boa!

DIY RCA

     Você mesmo pode fazer seu cabo RCA, com qualidade que pode ser comparada com alguns cabos caros e que são bem melhores que cabos de baixa qualidade


img207/2526/dsc091002zi.jpg
Foto de um cabo RCA feito pelo usuário caduprado



Quais os tipos de cabo utilizar?

     Os dois cabos mais recomendados é o RGC-59 ou RGC-6, que são cabos utilizados em antenas de TV. Prefira as marcas que tenham o dielétrico em espuma celular e não dielétricos maciços! Os da Marca KMP são muito bons. Os cabos RCA não são muito flexíveis pela isolação e as malhas que são utilizadas, imagine o RGC-59 como o cabo da antena de sua casa, por isso é bom comprar também alguma fita ou algum tipo de “cinta plástica” para fixa o cabo.

     Tome cuidado com a espessura do cabo, pois alguns cabos de grande espessura não entram em alguns conectores precisando de alguma modificação e em alguns casos nem com modificação é possível usar, e acaba descartando o uso do conector ou o cabo que foi comprado!

     O cabo pode ser comprado em qualquer loja de antena, materiais elétricos, etc.

 
Cabo branco RGC-06

 
Cabo preto RGC-59
Fotos cedidas por VirtuHal

Quais conectores utilizar?

     O conector RCA mais utilizado foi o conector da marca Santo Angelo, que custa por volta de R$8,00 cada (Entre no site da Santo Angelo para saber os preços), mas sempre prefira os conectores de maior qualidade, de preferência com banho de ouro 24k que custa em media R$10,00 cada. Dependendo da qualidade do conector é necessário lixar as partes a serem soldadas. O conector da foto ao lado é um conector Santo Angelo (RCAM-P10F ADAPTAD RCAM P/ RCAF) que custa R$ 9,50 cada.

    E tome cuidado com as falsificações, pois alguns comerciantes estão vendendo conectores falsificados, ou enganando o cliente com outros “golpes”. Por isso procure bem, antes de decidir qual cabo e conector você vai comprar, pois tem uma grande influência na qualidade.

     A melhor maneira de evitar falsificações é comprar em algum revendedor autorizado do fabricante do conector ou constatar com o fabricante se o conector é original.



Como soldar?

Ferro de solda e tubo de soldaPara facilitar o seu trabalho fixe o conector em algum local e o fio também, ou então, peça a algum ajudante. Pegue o ferro de solda com firmeza com uma mão e a solda com a outra. Vá encostando a solda no ferro de solda no fio positivo do conector sem deixar barrigas e deixando uma solda brilhante.

Marcas de ferro famosas:
- Hikari
- Fame

Soldas:
- Best
- Kester

 

Conector soldado
Conector soldado, malha deve ser soldada no conector externo, maior.
O fio interno do cabo deve ser soldado no terminal central do RCA.


Cabo montado pelo usuário 'dj jonnydb' :






Qual solução para cabos Y?

     O cabo Y pode ser feito usando o cabo coaxial também, procure conectores de alta qualidade para ter uma boa condutividade entre os conectores, usa solda e proteja as emendas com Filme Termo-encolhível ou termo-retrátil (é um espaguete que quando aquecido com um isqueiro, ele encolhe, diminuindo seu diâmetro. Existe de vários diâmetros e espessuras). O passo a passo da construção será tema de um próximo artigo.

Opiniões dos usuários que utilizaram o cabo

      “Sente-se ganhos mais pronunciados nos agudos, mas o ganho de dinâmica é muito perceptível também... A impressão é que o som ganha “contraste”, ou, como alguns definem de forma mais genérica, o som "abre". Senti boa diferença nos graves também, mas como minha caixa é um pouco mais "transparente" que as demais, pode ser que numa dutada a diferença não seja perceptível.” (Kleberlpa)

      “Em testes com o cabo RGC-6 da anatel, certifiquei que ele se dá bem em sistemas que o tweeter do kit duas vias é muito apagado, imagino, que no Bravox CS60K, por exemplo, onde o tweeter é bem gritante se alguém estivesse usando estes cabos com este kit com certeza falaria que esses cabos RCA são uns lixos, porem, em um kit com tweeter apagado ele iria ajudar muito! No meu caso as freqüências altas se destacaram demais. E esperava uma melhora nos médios e nos agudos, e não só nos agudos” (Felipe Santos)


Dicas:

gazolli
Postado em Sep 30 2006, 08:24 AM





Olha, troquei quinta meus xing-ling por RGC59 + Sto Angelo.

Cara, vale MUITO a pena!!! O som fica detalhado, aberto, sobe mais.. Troquei até os cabos do Sub por RGC59 (que muita gente diz que não muda nada) mas senti uma PUTA diferença nos graves!!! O sub tá ainda mais extenso, sem nem pensar em embolar, macio, gostoso... Opa, ficou meio gay meu comentário.. uhauhauhaua auslach.gif
hdanieljp
Postado em Sep 30 2006, 11:49 AM

São Paulo - Butantã
Registrado em: 29/Jul/2006


Bom, me intrometendo, cuida com o RGC59. Nas lojas tem o RG59, que é difente.
Preço, quando eu cotei, os conectores Sto. Angelo estavam R$7,5 e o cabo estava R$1,85/m se eu não me engano...
gazolli
Postado em Sep 30 2006, 12:15 PM

Registrado em: 10/Feb/2006




Eu fiz dois pares de cabos (um pro kit/front e outro pro sub). Meu player tem saída RCA pro sub (mono) então pude fazer um par normal, sem ter que descobrir como fazer um cabo Y. Cada cabo eu fiz com 5 metros.

Comprei os cabos na TRANCHAN (Rua Santa Ifigênia, 459 - SP)
Cabo coaxial K.M.P. RGC-59
20 metros x 1,70 R$/m = R$ 34,00

Os conectores comprei na ELETRÔNICA AVIV (Rua Santa Ifigênia, 473 - SP)
8 conectores RCA Santo Ângelo x 6,50 R$/plugue = R$52,00

Total = R$ 86,00

Observações:
1 - As lojas são uma do lado da outra. Taí a dica porque não é tão fácil ter Sto Angelo nas lojas.
2 - O conector era mais caro, mas como levei 8 o cara me ofereceu um "desconto" (eu nem pedi, aliás...)
3 - Procure por cabo RGC 59, C de CELULAR. Da marca KMP - RFS. Eles têm o cabo branco ou preto, normalmente. O cabo é de 75 ohms.
4 - A solda é fácil de fazer. Quando você abrir um plugue RCA vai ver dentro dele o meio onde tem que ir o meio do cabo coaxial, e uma garrinha pra abraçar a malha (aqueles fiozinhos prata) do coaxial. Quem fez as soldas foi meu pai, que tem experiência com isso. Se eu fosse tentar ia ser pior que o Steven Hawking jogando futebol, hehehe. Ele soldou tudo perfeito, inclusive a malha e testou na hora pra ter certeza de que nenhum tava em curto, com um multímetro.
5 - Seguindo o conceito de onde é o positivo e o negativo do fio, acredito que fica fácil fazer um cabo Y, caso você precise fazer. Sem terrorismo!

E claro, a dica tá feita. O cabo vale muito a pena, você percebe a diferença na hora. E todo mundo comenta que cabos "semelhantes" custariam MUITO mais!!



Editores: GuiHF (Guilherme Fujii) , Edu*Zin (Eduardo Diaz), dj jonnydb

Coordenação e revisão Marcelomoti (Marcelo S. Motitsuki)




Mais Artigos - Procurar
Artigos AutoSom.net - Todos os direitos reservados - cópia somente mantendo autoria e procedência
AutoSom.net © | 1997/2016 | Copyright, Direitos Reservados | http://autosom.net | Contato